sábado, julho 12, 2008

As flores

.



Recados Para Orkut - RecadosOnline.com
foto daqui

Leon Eliachar


Há dois meses que Iracema recebia flores, sem cartão. Colocava tudo nas jarras, vasos, copos; mesas, janelas, banheiro e até na cozinha. Quando o marido lhe perguntava por que tantas flores, todos os dias, ela sorria:

— Deixe de brincadeira, Epitácio.

Ele não percebia bem o que ela queria dizer, até que um dia:

— Epitácio, acho bom você parar de comprar tanta flor, já não tenho mais onde colocar.

Foi aí que ele compreendeu tudo:

— O quê? Você quer insinuar que não sabia que não sou eu quem manda essas flores?

Foi o diabo, ela não sabia explicar quem mandava, ele não conseguia convencê-la de que não era ele.

— Um de nós dois está mentindo — gritou, furioso.

— Então é você — rebateu ela.

No dia seguinte, de manhã, ele decidiu não sair, pra desvendar o mistério. Assim que as flores chegassem, a pessoa que as trouxesse seria interpelada. Mas não veio ninguém:

— Já são duas horas da tarde e as flores não chegaram, Epitácio. É muita coincidência.
Vai me dizer que não era você.

Ele não tinha por onde escapar. Insinuou muito de leve que a mulher devia ter conhecido alguém na sua ausência. Ela chegou a chorar e se trancou no quarto. A discussão entrou pela noite até o dia seguinte. Epitácio saiu cedo, sem mesmo tomar café. Bateu a porta com força e levou o mistério para o trabalho.

Meia hora depois, a mulher saiu e foi ao florista.

— Como vai, Dona Iracema? A senhora ontem não veio, heim? Aconteceu alguma coisa?

À noite, Epitácio viu as flores e não disse uma palavra, mas a mulher não parou:

— Seu cínico. Bastou você sair para as flores aparecerem e ainda tem coragem de dizer que não foi você.

Nessa noite ele teve insônia.




Texto daqui, extraído do livro “O homem ao zero”, Editora Expressão e Cultura – Rio de Janeiro, 1968, pág. 275.


6 comentários:

Osc@r Luiz disse...

Ei! Psiu! Saudade!
Tem premio pra voce lá no Flainando :)
Beijo!

disse...

Passando para te deixar beijinhos de bom domingo!
Ah!estou levando a receitinha de filé, hummmm...que delícia!
Beijos Rô!

GRAce Olsson disse...

Rosa, querida, seu cantinho está lindo. Ficou do jeito que vc é :ROSA E ACOLHEDOR.
BEIJOS EDIAS FELIZES

Ana disse...

Adorei! Até me inspirou a contar uma história...

Rosinhaaa
Tem uma tarefa pra ti, lá no blog!
http://roccana2.blogspot.com/2008/07/8-coisas-fazer-antes-de-morrer.html

Beijão!!

Loba, a Keila disse...

Interessantissimo o conto, e creio que quase todas as mulheres já se permitiram fazer alguma coisa assim.

Confesso aqui, e por pura alegria poucos sabem quem sou, houve um tempo que me enviei flores. Também premeditei que as flores haviam sido enviadas pelo meu marido como gentileza pelo dia dos namorados, mas eu as escolhi, escrevi bilhete e me enviei. O motivo que me levou a agir assim eu não revelarei, mas devo dizer que o resultado final me agradou.

Simpático o seu blog.

BeijUivooooooooooosssssss da Loba

Velazquez disse...

Gostei muito do texto. Esperta, a dona Iracema...hahaha!
Bjus

 
^