sexta-feira, maio 16, 2008

Coisas do Brasil




Eu nasci em Lavras do Sul , um município do estado do Rio Grande do Sul, Brasil.
É o único município gaúcho com origem na extração de ouro, através de um acampamento mineiro situado às margens do arroio Camaquã da Lavras (um dos formadores do Rio Camaquã, que desemboca na Laguna dos Patos) para a exploração das pepitas de ouro depositadas no leito do rio; antes disso, no entanto, há registros de que o ouro do território, onde hoje é o município, foi explorado por portugueses e espanhóis. Em função da descoberta e da busca de ouro, a região atraiu colonizadores portugueses, belgas e espanhóis no final do século XVIII. Com a exploração do mineral, formou-se um núcleo populacional, que deu origem a cidade, desmembrada originalmente das terras de Rio Grande e Rio Pardo. Emancipou-se de Caçapava do Sul em 9 de maio de 1882.


O nome da cidade deriva da divisão de glebas destinadas à mineração (lavra) do ouro. Ao nome “lavras” adicionou-se a expressão “do Sul”, por já existir um cidade denominada Lavras, em Minas Gerais.
Há décadas a mineração deixou de ser explorada, muito embora existam pesquisas indicando grandes jazidas de minério, como calcário e talco, localizadas no interior do município.

O clima é subtropical úmido, com as quatro estações do ano bem definidas, verões e invernos bem rigorosos.


Na zona urbana do município prevalece o relevo de ondulações, com vias públicas íngremes, típico da Serra do Sudeste

Os principais grupos étnicos formadores da população lavrense são: belgas, portugueses, espanhóis e negros.

A população do município é predominantemente católica, mas existem significativas comunidades de evangélicos e espíritas kardecistas.


O principal templo religioso da cidade é a igreja Matriz de Santo Antônio, que foi erguida em um importante ponto antigo de mineração do ouro. Foi construída em estilo gótico no final do século XVIII e passou por sua última reforma em 1999.






Também o monumento em homenagem a Santo Antônio, padroeiro da cidade (desde 20 de março de 1829), comemorado em 13 de junho (feriado municipal).








E a gruta N.Sra. de Lourdes uma gruta natural onde foi instalada uma imagem da santa. Nela se encontram inúmeras placas de agradecimento por graças alcançadas.
É na parte mais alta da cidade de onde se tem uma vista muito linda.







As principais atividades econômicas de Lavras do Sul são a pecuária (ovinos e bovinos, para extração de couro e abate), comércio e serviços (mais de 200 estabelecimentos comerciais) e o turismo. A agricultura possui considerável importância, principalmente no que diz respeito ao plantio de soja e arroz. Existem, ainda, focos de fruticultura, em sua maioria em pequena escala.



Lavras do Sul, ainda que tenha algumas dificuldades, apresenta um bom potencial turístico, sobretudo nos meses de verão. Lavrenses que moram longe e pessoas de cidades visinhas passam as férias no Balneário do Paredão ou vêm para o Carnaval.















- Balneário Zeferino da Silva Teixeira, ou Praia do Paredão, inaugurado na década de 1980, conta com uma estrutura básica para camping, cabanas, dois bares, canchas de areia para esportes e playground.

- Hotéis-fazenda - espalhados no interior do município, são ideais para os amantes do ecoturismo e do turismo rural.





- Fazenda Itaóca - a 2 km da cidade , tem as ruínas de um antigo engenho de exploração de ouro construído em granito e com a maioria das máquinas originais encravadas nas rochas.








- Casa de Cultura José Néri da Silveira, museu e acervo cultural do município, Biblioteca, Exposição de artesanato e Pinacoteca.




- Rincão do Inferno - propriedade particular localizada no interior do município que apresenta formações rochosas, penhascos de granito e cânions com mais de 100 metros de profundidade, por onde se pode avistar o rio em corredeiras em meio à mata nativa.

- Praça Licínio Cardoso: ponto de encontro do povo lavrense, sobretudo nas noites de verão, finais de semana e feriados, onde pessoas de todas as idades se reúnem; ali estão localizadas duas casas noturnas famosas na cidade: o Telúrica Bar e o Benedito, além do tradicional Clube Comercial (que está defronte a praça). No local, são realizadas diversas festas, shows e eventos o ano todo, além, é claro, do Carnaval;


fotos roubadas do Roccana

- Mas o carnaval é, sem dúvida, o mais importante evento lavrense, capaz de mobilizar toda a comunidade. É considerado o maior carnaval da Região da Campanha e um dos maiores do Interior do Estado. Possui duas escolas de samba (Os Filhos do Sol é a mais representativa) e diversos blocos carnavalescos.
A partir do Ano Novo, durante o verão e até a Quarta-feira de Cinzas, são realizados mais de 100 eventos alusivos apenas a essa data na cidade. Os churrascos dos blocos no interior do município e o uso de camisetas dos blocos são duas tradições que não podem faltar no Carnaval lavrense.

Mais sobre o carnaval em Lavras aqui e aqui.

O lavrense é, com certeza, um apaixonado por sua terra. Mesmo morando distante, não perde orgulho de ter nascido nessa terra.
A cultura gaúcha está muito presente nos hábitos e costumes do povo de Lavras. O hábito de andar a cavalo, o consumo de carne de ovelha, a sesta após o almoço e os bailes do CTG Lanceiros do Batovi são alguns exemplos que ilustram esta afirmação. Além disso, o lavrense possui um sotaque característico que o diferencia de outras regiões do Estado, utilizando um “e” carregado (exemplo: “Eu sou ‘dê’ Lavras”, “Tudo ‘dê’ bom para ti”). Esses fatos estão ligado à influência da colonização espanhola na região. Algumas expressões são compreendidas apenas por quem mora na cidade.

Minha cidade é pequena, mas ainda faltou muita coisa pra contar.


Sites pesquisados:
Roccana,Panorama de Lavras do Sul, Prefeitura Municipal de Lavras do Sul, Prefeitura Municipal - Governo em Construção, Hotéis em Sevilha News.





Este post faz parte da blogagem coletiva, Coisas do Brasil, proposta pela Andréa Motta, do Leio o mundo assim.


.

17 comentários:

Georgia disse...

Rosa, que cidade interessante essa a sua. Eu nao a conheco. Conheco algumas cidades no Sul.

Posso imaginar como o turismo por ai deve ser grande mesmo.

O carnaval brasileiro creio que é imenso em todo território.

Linda a sua cidade.

Lindas as fotos!!!

Bom fim de semana

Crys disse...

Eu conheço algumas cidades do Sul, mas não conhecia Lavras, uma cidade linda, igrejas belíssimas. A propósito, é um dos meus pontos turístico preferido, as Igrejas. Que bela é a sua cidade, viu? Aliás, o nosso Brasil é rico em beleza natural, e a blogagem coletiva, esta nos dando a oportunidade de conhecer mais e mais desse imenso país. Um abraço!

Adri /Dri /Drika disse...

Muito legal essa blogagem que nos faz conhecer um pouquinho mais de cada região e de cada blogueiro ;)

Osc@r Luiz disse...

Amiga querida,

Que post maravilhoso!
Recheado de cultura e lindas imagens. Adorei!
Agora, me diz: quem é a sua melhor amiga que mora aqui? Quero conhecê-la!
Ando meio afastado de todos, mas agora aos poucos estou voltando...
Beijos com saudades!

Andréa Motta disse...

Obrigada, Rosa,pela sua participação e por seu lindo post!

Luci Lacey disse...

Nossa Rosa

Vc arrasou.

Amei sua terra, o inverno ai deve ser gostoso demais.

E no verao uma baita banho de cachoeira.

Parabens pelo post.

Beijinhos e bom final de semana.

NANDO DAMÁZIO disse...

Oi, Rosa querida, tudo bem ??
Gostei muito do clima simplório e das peculiaridades da pequena Lavras do Sul, um encanto de cidade !!
Um beijão e bom findi, cosquirídia !! ;-)

Oliver Pickwick disse...

Vai ser homenageada na Câmara Municipal por esta matéria, Rosa. Verdade, vai receber o título de cidadã lavrense.
É um belo lugar, com bonitas igrejas e. gostei particularmente, do edifício da Casa de Cultura José Néri.
É uma boa guria, percebe-se em cada linha do texto a sua paixão pela cidade.
A propósito, Rosa, ela está no mapa, não? ;) Ah! Foi o que pensei! ;))
Um beijo!

Aninha Pontes disse...

Rosa minha querida, que linda cidade a sua.
Que lugar gostoso, deu vontade "dê" conhecer.
Acho bonito esse sentimento que continua a nos unir aà nossa terra natal. Também sou de uma cidade bem pequena no interior de S Paulo, mas tenho muitas boas lembranças.
Meu bem, com relação aos livros, caso vc tenha algo, pode enviar em qualquer tempo, na medida que vão chegando, vamos entregando à escola.
Apenas estou aguardando a volta da profª Patrícia, para entregar os primeiros volumes.
Um beijo grande e um lindo final de semana.

Ane disse...

Rosa,sua cidade é muito interessante,gostaria de conhecer.Aliás queria conhecer o Brasil inteiro!Beijão pra vc!

neusa disse...

OI rOSA, VIM AGRADECER A VISITA E FIQUEI ENCANTADA COM O TEU POST. a IDÉIA DA aNDRÉA FOI ÓTIMA, ASSIM FICAMOS CONHECENDO COISAS LINDAS DO BRASIL E TB NOVOS AMIGOS VIRTUAIS. bOM FINAL DE SEMANA. BJS

Zeca La-Rocca disse...

RM.... q lindo! nossa Lavrinha merece...

no vocabulário, a primeira palavra q lembro é "mola"... recorda esta?hehehe

Parabéns!

bjoss

Ana disse...

Showwwww!

E "caetanear", tu conhece?
Não tem nada a ver com o Caetano Veloso!
É que lá em Lavras tinha um senhor, chamado Caetano que odiava jogo de bulita (bolinha de gude). Quando via um grupo de meninos jogando, além de acabar com a brincadeira, "confiscava" todas as bolinhas!
Então "caetanear" virou sinônimo de "roubar"!

Beijão!

Du disse...

Rosa, apesar de um pouco atrasada vim retribuir sua visita e seu comentário lá no meu Norte, que fica no Sul! ;)
Seu post ficou simplesmente perfeito para mim que ainda não conhecia Santa Maria, aprendi muito aqui! Parabéns.

Beijão e seja sempre bem-vinda!

Vania disse...

Adorei o post.
e descobri o porque da minha irmã Soninha (que era uma exímia jogadora de bulita em Lavras) falar: me caetanearam tal coisa.
Juro que não sabia desse senhor Caetano, mas conhecia o termo.

zeca disse...

crediiiinhooo!

qnto tempo eu não ouvia este caetanear!?

Murilo Goes disse...

Olá, Rosa!!!

Parabéns pelo teu blog!! Muito bonito, nota 10!!

Muito Obrigado pela referência ao Panorama de Lavras do Sul. Fico muito honrado com tua lembrança. Saibas que estarei sempre a disposição para quaisquer textos que precisares!!!

Beijos e tudo de bom!!!

Murilo Góes
Editor Panorama de Lavras do Sul

 
^