quinta-feira, dezembro 13, 2007

Direitos Humanos

.







Não tive condições de postar aqui dia 10 sobre os Direitos Humanos em blogagem coletiva proposta pela SAM, o que faço hoje, mesmo com atraso.








Recebi do meu amigo Luis Abrianos o seguinte e-mail:


Direitos humanos são para humanos direitos

Carta enviada de uma mãe para uma mãe em SP, após noticiário na tv:*


"De mãe para mãe.


Vi seu enérgico protesto diante das câmeras de televisão contra a transferência do seu filho, menor infrator, das dependências da FEBEM em São Paulo para outra dependência da FEBEM no interior do Estado.

Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes decorrentes daquela transferência.

Vi também toda a cobertura que a mídia deu para o fato, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de Defesa de Direitos Humanos, ONGs, etc...

Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender o seu protesto. Quero com ele fazer coro. Enorme é a distância que me separa do meu filho. Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo.

Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família. Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha, para mim, importante papel de amigo e conselheiro espiritual.

Olhe você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou estupidamente num assalto a uma vídeo locadora, onde ele, meu filho, trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.

No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo carícias no seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores no seu humilde túmulo, num cemitério da periferia de São Paulo...

Ah! Ia me esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranqüila, viu? Que eu estarei pagando de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá na última rebelião da Febem.
No cemitério, nem na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante destas 'Entidades' que tanto lhe confortam, para me dar uma palavra de conforto e talvez me indicar 'Os meus direitos' !' "

Circule este manifesto! Talvez a gente consiga acabar com esta inversão de valores que assola o Brasil!'

Direitos humanos são para humanos direitos!!

"...há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus..." (1Tm 2.5)


Eu não tive tempo de visitar os blogs e acompanhar a blogagem, mas esta carta me chocou, porque vejo mais falarem nos direitos humanos dos presos, sem pensar no das vítimas.

.

11 comentários:

Magui disse...

A maior punição está sobre a mãe que ensinou o filho ser honrado.Geralemente as mães destes bandidos também são um pouco e , portanto, colhem o que plantam.Uma das provas é que elas acham que estes filhos são injustiçados e coitadinhos.
http://somagui.zip.net
Como vc nãot em outra escolha no coments sou obrigada a deixar o meu blogspot.

Carlos Emerson Jr. disse...

A blogagem coletiva do SAM foi um sucesso: 100 blogs de todas as partes do mundo!
O assunto é muito importante e está diretamente ligado ao futuro do ser humano.
Um beijo.

Carlos Emerson Jr.
http://blogdocejunior.wordpress.com

Luci Lacey disse...

Rosa

Muito bom seu post.

Humanos direitos, especie em extincao.

Beijinhos

Odele Souza disse...

Rosa,
Obrigada por trabalhar na divulgação do blog de minha filha Flavia, que contém informações que acredito, são de interesse geral, já que ralos de piscina podem vitimar qualquer criança e a morosidade da justiça é algo que ocorre em muitos países.
Fique à vontade para copiar qualquer post ou foto do blog de Flavia, mas é importante voce mencionar a fonte: algo assim por exemplo: Fonte: blog Flavia, Vivendo em Coma, ou Fonte: Blog de Flavia, mantido por sua mãe Odele.(o blog não é meu, é de Flavia..)

Sem problemas você postar no domingo Rosa.
Um abraço.
PS. Por favor, corrija meu nome, não é Adele como você escreveu no final de seu comentário,nem Odete como alguns escrevem. É Odele, (com L e não com t) - rsrs).
Obrigada.

luma disse...

Certos valores, como respeito à própria vida e à de outrem, carregamos do berço. Ninguém sai matando a torto e direito só porque teve um estalo.
O pai e mãe que se isentam de culpa, provam simplesmente que estiveram distante da criação do filho.
Bom fim de semana! Beijus

Nádia Bonani disse...

Olá,
Passei aqui para desejar um feliz fim de semana e tudo de bom***
E agradeço pela visita e pelo parabéns***
Bjus***

maristela disse...

Rosa. Perfeito este post. Sinto pela mãe dos que se desviaram, mas muito mais pelas vítimas. Não dá pra segurar esse socialismo torto de igualdade, fraternidade, etc e tal nivelando uns e outros. Se a gente não separar o que é correto do errado, pra que viver?
bj

Maria Helena disse...

Rosamaria,
perfeito, sempre comento sobre esse assunto, sobre essas iversões de valores. Essas campanhas distorcidas,são tão acirradas,que os governos nem podem tomar partido
os direitos humanos dos marginais e ladrões,colocam a mídia contra.
São jogos de interesses,que estão sempre contra os interesses do cidadão honrado e trabalhador.
Não sei como funciona blogagem coletiva.
Bjs

Georgia disse...

Querida, estou te convidando e também os seus amigos para a blogagem coletiva de natal dia 20.12., passa lá na Saia para pegar o seu selinho.

Grande beijo e bom fim de semana

Oliver Pickwick disse...

Ora, Rosa, a data não importa, o que conta mesmo é a sua indignação. Texto muito bem apropriado.
A propósito, essa "faxineira" trabalha por hora ou na diária? Ela me parece eficiente!
Um beijo, e tenha um ótimo fim de semana!

apoiofraterno disse...

Rosa, um post de calar a boca.

Vejo os dois lados dessa triste moeda.

O crime é crime e por isso deveria ser extirpado da face da Terra.

Creio que há abuso e impunidade por todos os lados. O Estado deveria punir de maneira rigorosa e efetivamente reeducar o delinquente. Isso, porém, não ocorre.

Por outro lado, a disseminação do ódio a fim de se alcançar a vingança estatal também não resolve esta estranha equação na qual nos metemos desavisados.

Vamos precisar de tempo para acomodar as coisas nos seus devidos lugares, é o que penso. Por enquanto, à julgar pela ladroagem em Brasilia, pelos empresários corruptos, pela polícia despreparada, pelos menores que não são adequadamente punidos, pelo poder Executivo que não está nem aí para as nossas necessidades reais... eu imagino que as coisas vão ficar piores do que já são.

Compreendo e solidarizo-me com a dor da mãe que perdeu o filho. Palavras duras ela disse, porém sensatas.

Abstenho-me de julgar a postura da mãe do menor infrator. Jesus não condenou ninguém, não o farei eu que não conheci esta mãe e não sei como foi que os fatos se deram até o evento criminoso.

Um bom domingo, minha querida amiga!

 
^