domingo, novembro 06, 2016

Carne assada com molho especial

.


Carne assada com molho especial


3/4 de xíc. de suco de laranja
2 colheres de maionese com mais limão
2 " de salsa picada
2 " de cebola ralada
3 " de Karo
2 " de vinagre
1/2 xíc. (chá) de vinho branco seco
bacon, sal e pimenta-do-reino
Carne - pode ser coxão de dentro, costela minga ou a gosto

-Primeiro limpo a carne de gorduras e peles. Faço furos em toda a sua extensão e ponho pedacinhos de bacon em cada um deles. Tempero com sal e pimenta.
-Misturo todos os outros ingredientes.
-Coloco a carne sobre uma assadeira forrada com papel alumínio grande o suficiente para embrulhá-la bem.
- Rego com a mistura, fecho bem e levo ao forno quente por mais ou menos 40'.
-Abro, então, cuidadosamente, para que o molho não escorra e deixo no forno por mais uns 20' ou até dourar.
-Passo o molho numa peneira para servir junto.

Servir com farofa.
Pode ser a


Farofa de pinhão

Numa frigideira grande derreto:
2 colheres de manteiga, acrescento:
1 cebola ralada ou processada
250g de farinha de mandioca flocada
250g de farinha de mandioca crua

Deixo dourar, mexendo sempre.
Desligo o fogo e adiciono, picados:
!/2 xíc. de salsinha
150g de presunto
1 maçã
1/2 xíc de passas de uva branca
2 xíc de pinhão cozido


  .

terça-feira, novembro 01, 2016

Elsa e Fred - Um amor de paixão.

.

Hoje falei sobre este filme e resolvi postar de novo. É muito, muito bom, gostaria de ver de novo.



Essa foto daqui




Vi este filme e adorei! Ri e me emocionei. É uma lição de vida, mostra que nunca é tarde para o amor.


No site a sinopse diz assim:



Elsa& Fred é uma história de amor tardio. Uma história de duas vidas que ao final do caminho descobre que nunca é tarde para amar...nem para sonhar.



Elsa tem 82 anos, dos quais 60 viveu sonhando um momento que já havia sido sonhado por Fellini: a cena de La Dolce Vita, na Fontana di Trevi. Igual, mas sem Anita Ekberg mas ela. Sem Marcelo Mastroiani, mas com esse amor que tardou tanto tempo a aparecer.




Alfredo é um pouco mais jovem que Elsa e sempre foi um homem de bem que cumpriu com seu dever. Ao ficar viúvo, desconcertado e angustiado pela ausência de sua mulher, sua filha insiste para que se mude para um apartamento menor onde conhece Elsa. A partir deste momento, tudo se transforma.




Elsa invade sua vida como um torvelinho, disposta a demonstrar-lhe que o tempo que lhe resta de vida - muito ou pouco - é precioso e pode desfrutá-lo como lhe agradar. Fred se deixa levar pela vertigem de Elsa, por sua juventude, por sua intrepidez, por sua formosa loucura. É assim como Alfredo (ou Fred, como lhe chama Elsa), aprende a viver.Elsa invade sua vida como um torvelinho, disposta a demonstrar-lhe que o tempo que lhe resta de vida - muito ou pouco - é precioso e pode desfrutá-lo como lhe agradar. Fred se deixa levar pela vertigem de Elsa, por sua juventude, por sua intrepidez, por sua formosa loucura. É assim como Alfredo (ou Fred, como lhe chama Elsa), aprende a viver.


Ficha Técnica:

Título Original: Elsa y Fred

País: Espanha e Argentina

Ano: 2005

Duração: 108 minutos

Estúdio: Tesela Producciones Cinematográficas S.R.L.

Distribuidora: Europa Filmes

Diretor: Marcos Carnevale

Roteiro: Marcos Carnevale, Marcela Guerty e Lily Ann Martin

Produção: José Antonio Félez

Trilha Sonora: Lito Vitale

Elenco: Manuel Alexandre, China Zorrilla, Blanca Portillo, Roberto Carnaghi, José Ángel Egido.


Aqui vocês podem ver mais comentários e o trailer.


.

domingo, outubro 16, 2016

Coquetel de camarão

.






Fiz hoje para comemorar o aniversário do Sílvio que foi ontem.
Vou colocar conforme aprendi com minha tia Teresa. Ela tinha as taças especiais, eu coloquei em taças de tamanho diferentes porque não tenho.


Ingredientes

500 g de camarões

6 a 8 camarões grandes por pessoa

sal a gosto, páprica, coentro, pimenta ou o tempero que você usa 

água que baste para cozinhá-los


Modo de fazer

1. Limpo os camarões, separadamente os grandes dos menores: retiro as cascas e preservo a cauda; faço um corte nas costas dos camarões e retiro as tripas com um palitinho. Lavo bem sob água corrente, de um em um, coloco numa vasilha e depois lavo de novo.

2. Coloco a água a ferver com os temperos em panelas separadas, acrescento os camarões e deixo cozinhar por 2 a 3 minutos. Escorro, deixo esfriar e levo à geladeira, tapado pra não deixar cheiro, (cada tamanho separado).

Enquanto isso, preparo o molho.


Ingredientes para o molho:

maionese (no olhômetro)
a mesma medida de creme de leite
a metade da medida de catchup
e de conhaque

Modo de fazer:

1. Pico gelo no processador e coloco no fundo da taça (parte de baixo)

2.Bato os ingredientes do molho ligeiramente no liquidificador, acrescento os camarões pequenos e coloco na taça que vai em cima da primeira.

3. Distribuo os camarões grandes de maneira harmoniosa, com a cauda voltada para fora da borda.

Se não tiver taças especiais, como eu, coloque o molho numa tigelinha e organize os camarões da mesma maneira.

Sirva a seguir.

.

terça-feira, outubro 04, 2016

Maria

.




Hoje os nossos corações se enchem de alegria, a Maria chegou!
Não existe momento mais lindo do que este! A felicidade está no ar e no coração de todos os que a esperavam, familiares e amigos.
Maria, seja bem vinda a este mundo maluco! Que Deus, nosso Pai Maior, abençoe todos os dias da tua vida. Que sejas forte, saudável, humilde, generosa, responsável, mas, acima de tudo, que tenhas sempre amor no teu coração. Te amo incondicionalmente desde que soube que virias ao mundo e meu desejo é que sejas muito, muito feliz!
Muito obrigada, meu Deus, por este presente maravilhoso!
Seja bem vinda, Maria!!!

.

quarta-feira, junho 29, 2016

Torta de nozes

.





Receita (da Téia)

Torta:
9 ovos
2 xícaras de açúcar
250 g de nozes picadas
3 colheres de farinha de trigo (é só isto mesmo)
1 colher de café de fermento em pó
1 pitada de sal
Bater 7 claras em neve bem duro e acrescentar as 9 gemas (sem película)até ficar fôfo. Acrescentar as nozes, o fermento e a farinha e o sal.
Levar ao forno em 200ºC até que o palito enfiado no mesmo saia seco.




Recheio
1 lata de leite condensado cozido (pode ser natural também)
3 latas de leite comum
2 gemas sem película
Levar ao fogo até engrossar e rechear a torta

Cobertura
3 claras em temperatura ambiente
6 colheres de sopa de açúcar
Bata as claras em neve e acrescente o açúcar.
Cubra a torta e enfeite com fios de ovos, algumas nozes e cereja. (Faltou cereja)
Bom apetite!
.

sábado, junho 18, 2016

Receitas juninas (só porque é junho...)

.



As duas primeiras receitas são minhas, a de doce de abóbora e a cocada são bem como faço. As fotos são do Google e os comentários foram conservados, pois já tinha postado antes.



Arroz-de-leite


Cozinhar:
1 xícara de arroz
em 1 1/2 litro de leite
1 pitada de sal

Acrescentar:
1 lata de leite condensado
½ litro de leite quente

Deixar ferver um pouco e, se precisar, colocar mais leite.
O arroz tem que ficar bem solto no leite.
Quando tiver bem cozido, retire do fogo e acrescente 4 gemas passadas na peneira
Volte ao fogo para engrossar.
Retire novamente, deixe resfriar e coloque1 lata de creme de leite
Sirva em taças e polvilhe canela em pó.

Dá pra diversificar o sabor, colocando canela em rama ou raspas de casca de limão enquanto cozinha o arroz.
Um dos meus filhos gosta de colocar calda de açúcar queimado em vez de polvilhar canela em pó.



Canjica cremosa





Ingredientes:
1 xícara de canjica
1 1/5 litro de leite
1 lata de leite condensado
3 ou 4 gemas
1 canela em pau

Modo de Preparo:


Coloque a canjica de molho em água fria por 8 horas. Escorra e coloque em uma panela juntamente com o leite.
Adicione o pau de canela e leve à fervura em fogo baixo para que os grãos fiquem macios. Teste e, se estiver no ponto, adicione o leite condensado.
Ferva novamente para encorpar o líquido. De uma batida nas gemas e passe na peneira, acrescente ao desligar o fogo.
Sirva quente salpicando com canela em pó.




Doce de abóbora





Ingredientes:
1 kg de abóbora descascada
1 colher (sopa) de cal virgem para uso culinário
4 xícaras de açúcar
2 xícaras de água
12 cravos-da-índia
1 canela em pau

Modo de Preparo:


Corte a abóbora em cubos de 3 cm. Desmanche a cal em

2 litros de água fria e despeje sobre as abóboras.

Deixe descansar por 2 horas. Escorra e elimine a água. Lave

os pedaços de abóbora em água corrente por 2 ou três vezes.

Coloque o açúcar e a água em uma panela e leve

à fervura. Adicione os cravos e a canela. Fure, de leve, os pedaços de abóbora para que a calda penetre. Coloque-os na panela.
Ferva em fogo baixo para que eles fiquem firmes porém macios.
Retire-os com uma escumadeira e coloque em uma compoteira. Reduza a calda até o ponto de fio e despeje sobre as abóboras. Deixe esfriar antes de servir.




Doce de leite em pedaços



Ingredientes:

1 kg de açúcar
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
3 litros de leite integral

Modo de Preparo:

Misture em uma panela grande 3 litros de leite integral, 1 kg de açúcar e 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio.
Leve para cozinhar e, assim que ferver, reduza o fogo. Cozinhe por mais 3 horas e 45 minutos, mexendo de vez em quando, ou até obter uma mistura cremosa.
Retire do fogo e continue a mexer até a massa começar a ficar opaca.
Espalhe-a em uma superfície lisa e umedecida com água, na altura de 1,5 a 2 cm. Em seguida, corte-a, ainda morna, no formato de retângulos ou losangos.




Cocada




Ingredientes:


250 g de açúcar refinado
250 g de côco fresco ralado
100 g de leite condensado

Modo de Preparo:


Numa panela, leve ao fogo 200 g de açúcar com 60 ml de água e deixe até caramelizar levemente (dependendo da intensidade de cor que deseja dar ao doce). Adicione o côco, o açúcar restante e o leite condensado, misturando sempre com uma colher de pau até que a calda se torne espessa e em ponto de fio. Transfira para uma compoteira

e decore com cravo-da-índia. Se preferir uma versão mais firme, deixe a calda encorpar mais,despeje a mistura sobre uma superfície untada com manteiga e espere resfriar para cortar





Bolo de abóbora






Ingredientes:
1 colher (sopa) de óleo
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
1 xícara (chá) de leite de côco
500 g de abóbora madura picada
1/2 xícara (chá) de margarina light
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
1/2 xícara (chá) de amido de milho
Modo de Preparo:


Coloque em uma panela, a abóbora, o leite de côco e o açúcar. Deixe cozinhar, em fogo baixo, por 40 minutos, ou até a abóbora estar bem macia. Mexa bem para ela ficar cremosa. Retire e, assim que esfriar, misture a margarina. Peneire em uma tigela a farinha de trigo, o amido de milho
e o fermento. Despeje o creme de abóbora e misture bem, mas sem bater.Unte uma forma para pudim,de 1,5 litro com o óleo e polvilhe com o açúcar cristal. Despeje a massa e coloque para assar em forno médio, pré-aquecido, por 45 minutos, ou até que, enfiando um palito, ele saia limpo.




Bolo de fubá




Ingredientes:
3 ovos
2 xícaras (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de fubá
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de óleo
1 colher (sobremesa) de fermento em pó
1 colher (sobremesa) de sementes de erva-doce

Modo de Preparo:

Coloque no liquidificador os ovos, o leite, o óleo, o açúcar,
o fubá e a farinha de trigo. Bata bem até obter uma mistura homogênea. Junte o fermento e as sementes de erva-doce e misture sem bater. Unte e enfarinhe uma forma com furo no meio e despeje a massa. Leve ao forno preaquecido em temperatura média (200oC) até dourar,ou até que,enfiando um palito no bolo ele saia limpo. Desenforme o bolo ainda morno e, se preferir, salpique açúcar e canela antes servir.




Broa de fubá





Ingredientes:
1 e 1/2 xícara (chá) de fubá
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) de açúcar
1 pitada de sal
1 xícara (chá) de manteiga
1 xícara (chá) de leite
6 ovos

Modo de Preparo:


Peneire numa tigela 1 xícara (chá) de fubá com a farinha de trigo, o açúcar e o sal. Reserve. Misture numa panela a manteiga (reserve 1 colher de sopa), o leite e 1 xícara (chá) de água.Leve ao fogo e, assim que ferver,junte de uma vez os ingredientes secos. Mexa vigorosamente e cozinhe por 20 minutos, sem parar de mexer, até obter um mingau encorpado. O fubá deve ser bem cozido como se fosse polenta. Retire do fogo, despeje numa tigela e deixe esfriar por 15 minutos, mexendo de vez em quando. Ligue o forno

à temperatura média. Em seguida, adicione os ovos, um a um, mexendo sempre a cada adição. Continue mexendo vigorosamente até a massa ficar macia e um pouco mole (não é ponto de enrolar). Umedeça uma tigela de 10 cm de diâmetro (do tamanho de 1 xícara de chá) e polvilhe com parte do fubá restante. Coloque, na tigela, um pouco mais de 1 colher (sopa) da massa. Rode a tigela para formar as broinhas e disponha-as numa assadeira untada com a manteiga reservada. Deixe uma distância de 2 cm entre as broas. Repita a operação até terminar a massa.Sempre que necessário,umedeça um pouco a tigela e coloque mais fubá. Leve ao forno por 25 minutos, ou até as broinhas dourarem. Retire do forno e sirva quente.






Doce de batata-doce






Ingredientes:



2 kg de batata-doce
açúcar
leite puro de 1 côco

Modo de Preparo:

Cozinhe, descasque e passe as batatas pelo espremedor. Meça as xícaras de massa de batata para juntar a mesma quantidade de açúcar. Misture e leve ao fogo, mexendo até começar a largar da panela; acrescente o leite de côco e mexa até dar o ponto em que, ao virar a panela, o doce se desprenda completamente. Ponha em compoteira.




Curau de milho





Ingredientes:
12 espigas de milho verde
8 xícaras de leite
2 e 1/2 xícaras de açúcar
pitada de sal

Modo de Preparo:


Lave muito bem as espigas de milho, rale-as em um ralador cuidadosamente e, depois, raspe bem os sabugos com a ajuda de uma colher. Coloque em uma tigela e acrescente
o leite. Misture bem e deixe a massa descansar por 10 minutos. Coloque em um pano bem limpo ou peneira fina e esprema muito bem. Unte uma forma de bolo (com furo no meio) com um pouco de óleo de canola. Coloque em uma panela o caldo de milho e acrescente o açúcar, misture
bem e leve ao fogo cozinhando lentamente até que o curau engrosse, cerca de 40 minutos. Despeje a mistura na forma untada e deixe esfriar. Leva à geladeira e sirva, salpicando com um pouco de canela.




Se você quer receitas diet das delícias do arraiá encontra aqui



Bom proveito!
.

Origem da Festa Junina






Resultado de imagem para festa junina




Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das 
festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.
De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).
Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.
Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.
Festas Juninas no Nordeste 
Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.
Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.
Comidas típicas 
Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.
Tradições
As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.
No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.
Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.
Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.

link
Veja mais aqui.

 
^