quarta-feira, outubro 15, 2008

A viagem da sua vida

.


Aprecie a viagem; não há bilhete de volta!



George Carlin sobre envelhecer!

(Absolutamente brilhante)


George Carlin's Views on Aging
Pontos de vista de George Carlin sobre envelhecer

Você sabia que a única época da nossa vida em que gostamos de ficar velhos é quando somos crianças? Se V. tem menos de 10 anos, V. está tão
excitado sobre envelhecer que pensa em frações.
Quantos anos V tem? Tenho quatro e meio! Você nunca terá trinta e seis e meio. Você tem quatro e meio, indo para cinco! Este é o lance!
Quando V. chega à adolescência, ninguém mais o segura. V. pula para um número próximo, ou mesmo alguns à frente. 'Qual é sua idade?'
'Eu vou fazer 16!' Você pode ter 13, mas (tá ligado?) vai fazer 16!


E aí chega o maior dia da sua vida! Você completa 21! Até as palavras soam como uma cerimônia: VOCÊ ESTÁ FAZENDO 21. Uhuuuuuuu!

Mas então V. 'se torna' 30. Ooooh, que aconteceu agora? Isso faz V. soar como leite estragado! Êle 'se tornou azedo'; tivemos que jogá-lo fora.
Não tem mais graça agora, V. é apenas um bolo azedo. O que está errado? O que mudou?

V. COMPLETA 21, V. 'SE TORNA' 30, aí V. está 'EMPURRANDO' 40. Putz! Pise no freio, tudo está derrapando! Antes que se dê conta,
V. CHEGA aos 50 e seus sonhos se foram.

Mas, espere! Você ALCANÇA os 60. V. nem achava que poderia!
Assim, V. COMPLETA 21, V. 'SE TORNA' 30, 'EMPURRA' os 40, CHEGA aos 50 eALCANÇA os 60.
Você pegou tanto embalo que BATE nos 70! Depois disso, a coisa é na base do dia-a-dia; 'Estarei BATENDO aí na 4ª.. feira!'
Você entra nos seus 80 e cada dia é um ciclo completo; V. bate no lanche, a tarde se torna 4:30; V. alcança o horário de ir para a cama.
E não termina aqui. Entrado nos 90, V. começa a dar marcha à ré; 'Eu TINHA exatos 92.'


Aí acontece uma coisa estranha. Se V. passa dos 100, V. se torna criança pequena outra vez. 'Eu tenho 100 e meio!'


Que todos Vocês cheguem a um saudável 100 e meio!!



COMO PERMANECER JOVEM


Livre-se de todos os números não-essenciais. Isto inclui idade, peso e altura. Deixe os médicos se preocupar com eles. É para isso que V. os paga.



Mantenha apenas os amigos alegres. Os ranzinzas só deprimem.


Continue aprendendo. Aprenda mais sobre o computador, ofícios,
Jardinagem, seja o que for, até radio-amadorismo. Nunca deixe o cérebro
inativo. 'Uma mente inativa é a oficina do diabo. E o nome de família do diabo é ALZHEIMER.


Aprecie as coisas simples.
Ria sempre, alto e bom som! Ria até perder o fôlego.
Lágrimas fazem parte. Suporte, queixe-se e vá adiante. As únicas pessoas que estão conosco a vida inteira somos nós mesmos. Mostre
estar VIVO enquanto estiver vivo.


Cerque-se daquilo que ama, seja família, animais de estimação, coleções, música, plantas, hobbies, seja o que for. Seu lar é seu refúgio.


Cuide da sua saúde: se estiver boa, preserve-a. Se estiver instável, melhore-a. Se estiver além do que V. possa fazer, peça ajuda.


Não 'viaje' às suas culpas. Faça uma viagem ao shopping, até o município mais próximo ou a um país no exterior, mas NÃO para onde
V. tiver enterrado as suas culpas.


Diga às pessoas a quem V. ama que V. as ama, a cada oportunidade.


E LEMBRE-SE SEMPRE:


A vida não é medida pela quantidade de vezes que respiramos, mas pelos momentos que nos tiram a respiração.




A jornada da vida não é para se chegar ao túmulo em segurança em
um corpo bem preservado, mas sim para se escorregar para dentro meio, de lado, totalmente gasto, berrando:
'PUTA MERDA, QUE VIAGEM!

VIVA SIMPLESMENTE, AME GENEROSAMENTE, IMPORTE-SE PROFUNDAMENTE,
FALE GENTILMENTE, DEIXE O RESTO PARA DEUS.




PhotobucketRecebi por e-mail do Marcelo.

3 comentários:

acqua disse...

Adorei o post, até porque o li ao som de Dancing Queen e uma cena do filme me veio a mente. Ótima.
Sinceramente nem me lembro mais quantos anos tenho. Parei de contar quando (?) e quando alguém me pergunta seja por qual razão for, simpelsmente levo algum tempo para responder porque simplesmente tenho que lembrar-me de coisas esquecidas. Acabo recorrendo ao documento para contar os anos. Mas uma vida não é feita disso.
Um amigo meu conta seus anos pela quantidade de cães que já teve. E toda vez que um morre diz que um pouco dele morre também. Poético. Eu não aprendi a contar ainda...
Abraços meus

Ana disse...

Gostei...

Tentarei por em prática...

Velazquez disse...

Adoro o trabalho do Carlin. Ele viveu muito bem, tenho certeza.
Tenho alguns vídeos dele, todos falando de assuntos sérios, com muito humor.
Pena que ele não está mais aqui entre nós, não é?
Beijos. Adorei o post.

 
^