sexta-feira, abril 11, 2008

A Alegria na Tristeza



O título desse texto na verdade não é meu, e sim de um poema do uruguaio Mario Benedetti. No original, chama-se "Alegría de la tristeza" e está no livro "La vida ese paréntesis" que, até onde sei, permanece inédito no Brasil.

O poema diz que a gente pode entristecer-se por vários motivos ou por nenhum motivo aparente, a tristeza pode ser por nós mesmos ou pelas dores do mundo, pode advir de uma palavra ou de um gesto, mas que ela sempre aparece e devemos nos aprontar para recebê-la, porque existe uma alegria inesperada na tristeza, que vem do fato de ainda conseguirmos senti-la.

Pode parecer confuso mas é um alento. Olhe para o lado: estamos vivendo numa era em que pessoas matam em briga de trânsito, matam por um boné, matam para se divertir. Além disso, as pessoas estão sem dinheiro. Quem tem emprego, segura. Quem não tem, procura. Os que possuem um amor desconfiam até da própria sombra, já que há muita oferta de sexo no mercado. E a gente corre pra caramba, é escravo do relógio, não consegue mais ficar deitado numa rede, lendo um livro, ouvindo música. Há tanta coisa pra fazer que resta pouco tempo pra sentir.

Por isso, qualquer sentimento é bem-vindo, mesmo que não seja uma euforia, um gozo, um entusiasmo, mesmo que seja uma melancolia. Sentir é um verbo que se conjuga para dentro, ao contrário do fazer, que é conjugado pra fora.

Sentir alimenta, sentir ensina, sentir aquieta. Fazer é muito barulhento.

Sentir é um retiro, fazer é uma festa. O sentir não pode ser escutado, apenas auscultado. Sentir e fazer, ambos são necessários, mas só o fazer rende grana, contatos, diplomas, convites, aquisições. Até parece que sentir não serve para subir na vida.

Uma pessoa triste é evitada. Não cabe no mundo da propaganda dos cremes dentais, dos pagodes, dos carnavais. Tristeza parece praga, lepra, doença contagiosa, um estacionamento proibido. Ok, tristeza não faz realmente bem pra saúde, mas a introspecção é um recuo providencial, pois é quando silenciamos que melhor conversamos com nossos botões. E dessa conversa sai luz, lições, sinais, e a tristeza acaba saindo também, dando espaço para uma alegria nova e revitalizada. Triste é não sentir nada.


Martha Medeiros




Estou mais sentindo do que fazendo e com tanto pra fazer, com pouca possibilidade cumprir com tudo, que me deu uma tristeza. A tristeza é por não poder ficar aqui com vocês, mas como a Martha disse, Triste é não sentir nada.

Tenho alguns posts programados e na medida que puder venho postá-los.

Vou conversar com meus botões e quando estiver com alegria nova e revitalizada eu volto. Enquanto isso não tenho como visitar os amigos. Sorry!

Bjim pra todos.

.

7 comentários:

Lu disse...

Por isso estranhei a ausência.
Converse com teus botões, com tuas netas que com certeza elas terão coisas muito algres e sábias pra tua alegria voltar.
Bjs, bom fimdi! E volta logo!

Sombra do Sol disse...

Olá amiga boa noite, muito bonito e profundo tudo que postou, parabéns! Não vou falar sobre tristeza, pois parece que combinamos, acabei de postar algo parecido com o seu, mas tudo isso que falou eu completo com o medo da violência, da insegurança das ruas, do desemprego, das oscilações da economia, das incertezas quanto ao futuro, da repetição de sofrimentos do passado, de deixar de ser amado, de não ser apreciado, de ser abandonado, de não achar o seu lugar, de não manter a posição conquistada. Medo do mundo, medo da vida, medo de nós mesmos, medo dos outros. Todos nós precisamos aprender a tomar conta do medo para evitar que o medo tome conta da gente. Tenha um excelente fim de semana com muita paz, saúde e luz. Abraços fraternos do amigo.

Sonho Meu disse...

Xô tristeza...nao faz bem pra ninguem.
bjos e muita alegria.
me

Georgia disse...

Eu gostei do texto. Cheio de verdades. Nem sempre porque tudo está bem estamos felizes. Concordo com o texto que qdo estamos triste esse é o momento em que mais aprendemos de nós mesmos e vemos exatamente como as outras pessoas sao.

Bom fim de semana

E vc está melhor?

O Profeta disse...

E como sabe bem ler-te...


Doce beijo

Luma disse...

Rosa, procurar alegria na tristeza, é algo bem profundo, não é para pessoas razas. Quando estou triste, tento lembrar de coisas boas, coisas que me animam. Não fique tristinha!! Pense que chegará a hora de poder retornar conforme gosta. E vai chegar!! Boa semana! Beijus

NANDO DAMÁZIO disse...

Que pena, Rosa ..
Volta logo, quero te ver como na foto: sorrindo !!

E espero que o sonho que você sonhou se realiza algum dia !!
Beijos !!

 
^