sexta-feira, março 14, 2008

Dia Nacional da poesia






Vi lá no Fragmentos de mim, o blog da Cris, que hoje comemora-se o Dia Nacional da Poesia.



O "Dia Nacional da Poesia" se comemora no dia 14 de março, data do aniversário do grande poeta Castro Alves, que nasceu na Freguesia de Muritiba, na Bahia, atual município de Cachoeira, em 1847 e faleceu em Salvador em 6 de janeiro de 1871.

Poeta romântico, de linha nacionalista e abolicionista que se inspirava em Victor Hugo, o maior poeta da França. No período em que viveu (1847-1871), ainda existia a escravidão no Brasil. O jovem baiano, simpático e gentil, apesar de possuir gosto sofisticado para roupas e de levar uma vida relativamente confortável, foi capaz de compreender as dificuldades dos negros escravizados. Aos 21 anos de idade, mostrou toda sua coragem ao recitar, durante uma comemoração cívica, o “Navio Negreiro”. A contra gosto, os fazendeiros ouviram-no clamar versos que denunciavam os maus tratos aos quais os negros eram submetidos.
Além de poesia de caráter social, este grande escritor também escreveu versos líricos-amorosos, de acordo com o estilo de Vítor Hugo. Pode-se dizer que Castro Alves foi um poeta de transição entre o Romantismo e o Parnasianismo.
Este notável escritor morreu ainda jovem, antes mesmo de terminar o curso de Direito que iniciara, pois vinha sofrendo de tuberculose desde os seus 16 anos.

    O que é poesia

    Poesia é uma arte literária e, como arte, recria a realidade. O poeta Ferreira Gullar diz que o artista cria um outro mundo “mais bonito ou mais intenso ou mais significativo ou mais ordenado – por cima da realidade imediata”.

    Para outros, a arte literária nem sempre recria. É o caso de Aristóteles, filósofo grego que afirmava que “a arte literária é mimese (imitação); é a arte que imita pela palavra”.

    Declamando ou escrevendo, fazer poesia é expressar-se de forma a combinar palavras, mexer com o seu significado, utilizar a estrutura da mensagem. Isto é a função poética.

    A poesia sempre se encontra dentro de um contexto cultural e histórico. Os vários estilos poéticos, as fases de cada autor, os acontecimentos da época e tantas outras interferências muitas vezes se misturam à obra e lhe dão novos significados.


A Cris deixou lá esta poesia de Castro Alves, que me traz gratas lembranças da minha infância:


As Duas Flores

São duas flores unidas,
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol,
Vivendo no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.


Unidas, bem como as penas
Das duas asas pequenas...
De um passarinho do céu...
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.


Unidas, bem como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar...
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.


Unidas... Ai quem pudera,
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rodas da vida,
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor!



E eu deixo a Receita de Homem , da Ruth Larré, abaixo, algumas da Tânia Lopes, de quem sou fã:


Não pergunte o "porque"
de um sentimento,
nem tampouco "quanto",
nem "por quanto tempo"...
Não aceite a verdade nua.
Deixe na possibilidade
infinita da dúvida,
a resposta que queria
fosse sua!

~~~~~~

Ruídos, sons.
Gente e mais gente
copos, mil...
Todos a um só tempo
perdem e bebem juventude e poesia.
Abstêmia
abstenho-me...
"Peixe fora d'água
que em si se isola"...
Mas já sedenta,
rendo-me e saudosa
aprisionada naufrago,
num copo moreno/morno
de coca-cola.

~~~~~~

Ama
ou diz que ama...
Mesmo que seja
um arremedo
de amor...
O importante
é o exercício...

Um dia
a gente aprende...
aprende...
Ah! prende...
e se surpreende!

~~~~~~

Conscientemente
podia tocar
teus lábios...
Mas quem ia segurar
a inconsciência
da mão
que ia querer
acariciar o resto?



E esta da Ana, do Roccana Poesias:


Imagem

em frente ao espelho
tiro a roupa
jogo tudo no chão
me olho
frente e verso
e me encaro
meu olhar é duro
seios
de quem amamentou
barriga
de quem pariu
pelos
pernas afastadas
braços soltos
pés no chão
perfil
gosto do que vejo
em frente ao espelho
uma vida inteira
constato
que o espelho, cúmplice,
me sorriu
não pela imagem
que espelhava
mas por tudo
que intuiu.


.

9 comentários:

Ana disse...

Credinho!! :)

Minha poesiaaaaa!

"Obrigada", Maravilhosa! Fiquei feliz!

Beijo!

Luci Lacey disse...

Nossa Rosa

Nem me lembrava desta data tao importante, e creio que nossos amigos poetas tambem nao.

Bem lembrado, parabens.

Beijinhos

Luci Lacey disse...

Rosa

Um mimo para vc la no Hippos.

Beijinhos

tita coelho disse...

Lindas as poesias Rosa!! Pena que a mídia se esquece de divulgar datas como essas! Eu escrevi minhas poesias...Mas para mim todo o diaé dia de poesia! :)
beijos meus

MP3 e MP4 disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the MP3 e MP4, I hope you enjoy. The address is http://mp3-mp4-brasil.blogspot.com. A hug.

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

Bom domingo

Doce beijo

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

Bom domingo

Doce beijo

Marta disse...

Olá :D
Primeira vez que visito o seu espaço.
muito bonito sim ;D

Acho que hoje em dia estes dias assim especiais passam em branco, se fosse dia nacional de qualquer coisa inignificante se saberia.

Gostei.

Bjinhs

Osc@r Luiz disse...

O que seria do mundo sem a poesia para afagar as nossas almas, não é, amiga querida?
Um beijo!

 
^