segunda-feira, março 03, 2008

Canções de ninar

.





Neurociência

E is, para mim, um dos mistérios neurocientíficos mais belos: por que gostamos de canções de ninar? Meu pai me ninava, segurando as mãos das duas filhas, uma de cada lado, com uma canção que hoje me faz chorar só de lembrar da única frase que me restou na memória. Minha mãe me ninava cantando sobre uma cama na varanda, com flores da roseira sopradas pelo vento fazendo as vezes do cobertor esquecido. É claro que ser ninado nos dá, justo quando ficamos mais vulneráveis, adormecidos, a segurança, o conforto e a tranqüilidade de termos bem perto alguém que amamos -e o cérebro dá grande valor a isso, com um sistema especializado em detectar carinhos. Quem foi ninado sabe que foi uma criança amada.
Mas não é só isso. Canções de ninar, pouco importa o tema, têm algo em comum: o ritmo, que conduz melodias simples a uma taxa de cerca de sete batidas a cada dez segundos. Para não me fiar apenas em minhas próprias canções de ninar, fui conferir as 22 canções de ninar do disco do Palavra Cantada, e lá estava o número: a maioria tinha de seis a oito marcações a cada dez segundos, e nenhuma passava de nove por segundo. Por que o número é importante?
Mircea Steriade, falecido neurocientista romeno que tinha o olhar cândido e a testa larga do meu avô cearense, explica. Especialista nos ritmos elétricos produzidos pelo cérebro nos vários estados de sono e vigília, Steriade descobriu que, quando adormecemos, o córtex produz ondas de aumento e então redução de sua atividade elétrica a um ritmo de cerca de sete ondas a cada dez segundos. Esse ritmo, sempre abaixo de uma onda por segundo, "recruta" o tálamo, que começa a produzir em sincronia com ele as ondas delta do sono profundo, que, por sua vez, invadem o restante do cérebro e nos tiram da vigília. Canções de ninar, portanto, talvez sejam a maneira que temos para, com nossa voz e palmadinhas em uma cadência de 0,7 batida por segundo, induzirmos o córtex de nossos filhos a produzir, em resposta, as 0,7 ondas elétricas por segundo que convidam o resto de seu cérebro ao sono.
Meu filho de quatro anos me pede para ficar um pouco em sua cama, então deito e canto "Sereno" e "Fui no Itoro-ró" enquanto dou umas 0,7 palmadinhas por segundo em seu traseirinho sem fraldas. Logo depois, é minha vez de ser ninada por meu marido, com sua fala lenta e carinhos no meu cabelo: é a canção de ninar de gente grande. Nunca medi a freqüência da sua fala -mas sei que meu córtex gosta, porque adormece logo...


SUZANA HERCULANO-HOUZEL, neurocientista, é professora da UFRJ e autora do livro "Fique de bem com o seu cérebro" (Editora Sextante) e do site O Cérebro Nosso de Cada Dia (www.cerebronosso.bio.br)

suzanahh@folhasp.com.br




A Clélia, do Achados e Guardados me mandou por e-mail.

10 comentários:

Aninha Pontes disse...

Puxa Rosa, muito boito isso.
Acho que meu córtex gostou muito do que teve, porque também cantei canções de ninar para meus filhos.
Alguma coisa estava guardada né?
Um beijo menina.

Osc@r Luiz disse...

Nossa! Que bacana isso Rosa!
Há um tempo atrás me aventurei a postar sobre a neurobiologia, até com alguns exercícios para estimular o cérebro.
Temos ainda muito que aprender sobre o cérebro e seu córtex!
Beijos e uma boa semana!

Luci Lacey disse...

Rosa

Que interessante.

Cantei cancoes para meus filhos tambem.

Beijinhos

Tem presentinho para vc.

Ana disse...

Amei este post, Rosinha!
Lembranças da minha infância vieram com toda a força! Minha mãe, minha Avó, Electra, e a Teresa cantaram muito pra eu dormir. E tinha cafuné...
Lembro de lutar com todas as minhas forças para não dormir...

Tão bom!

Georgia disse...

Rosa, lindo demais. Eu cantei tb para meus filhos.
Acho que a maioria das maes brasileiras gostam de cantar para os filhos. Nao sei essa nova geracao que tá ai.

Boa semana

universodesconexo disse...

Muito interessante Rosa. Eu tambem adoro quando meu marido me nina viu ? Ele canta ou conta uma historia. Eh otimo. Certamente farei isso com meus filhos :)

beijos
Lys

tita coelho disse...

Muito legal esse post! Canções de ninar são ótimas...Eu costumava ninar Lucas com músiquinhas especias, bossa nova, mozart...ele amava!
beijos Rosa querida!!

Cadinho RoCo disse...

Incríveis os mistérios cerebrais a desafiarem até nossa imaginação. Agradecido por suas palavras lá na página Camisetas Personalizadas.
Cadinho RoCo

Denis Barbosa Cacique disse...

Olá, Rosamaria. Como vai?
Quer me dizer que vc tbem corre na corrida dos ratos? É duro, não? O lado bom é que nos fazemos companhia! hehehe

Mas espero que não seja por muito tempo, nem pra mim nem pra vc, é claro!

Sobre seu post, estou aqui tentando recordar as canções de ninar que minha mãe me cantava. Mas nada. Será que eu não tive disso!!??

Gde abraço!
Denis

Lu disse...

Rosa, é muito bom cantar pros filhos na hora de dormir. canto até hoje pra Camile que tá com 9 anos. Ela adora. Ela disse que nunca vai esquecer as canções de ninar. Muitas vezes nós (eu e o pai dela) inventávamos umas canções e ela amava.

Bjs

 
^