quinta-feira, dezembro 06, 2007

E a bagunça continua...

.


Depois de muito chorar a mágua de ficar sem computador consegui que fizessem uma extensão para o quarto da minha filha e cá estou eu.





E vocês acham que eu estava na bagunça? Engano! Agora é que estou nela. Estamos acampados na garagem e a cozinha está desmontada no pátio por não ter outro lugar. O tempo que quis ganhar limpando os quartos foi perdido, tá tudo cheio de pó e amontoados de coisas que depois vou levar um tempão pra por no lugar.

Como vocês acham que vai ser o meu Natal?

Vai ser maravilhoso, junto com toda a família, na bagunça ou em outro lugar! Depois eu conto! Só não vou poder visitar todos os amigos diáriamente como costumo fazer.

Ao abrir meus e-mails hoje recebi este do meu amigo Luís Abrianos, que repasso pra vocês refletirem:




Entrei apressado e com muita fome no restaurante.
Escolhi uma mesa bem afastada do movimento, pois queria aproveitar os poucos minutos de que dispunha naquele dia atribulado para comer e consertar alguns bugs de programação de um sistema que estava desenvolvendo, além de planejar minha viagem de férias, que há tempos não sei o que são.
Pedi um filé de salmão com alcaparras na manteiga,uma salada e um suco de laranja, pois afinal de contas fome é fome, mas regime é regime, né? Abri meu notebook e levei um susto com aquela voz baixinha atrás de mim:



-Tio, dá um trocado?

-
Não tenho, menino.
- Só uma moedinha para comprar um pão.
- Está bem, compro um para você.
Para variar, minha caixa de entrada estava lotada de e-mails. Fico distraído vendo poesias, as formatações lindas, dando risadas com as piadas malucas. Ah! Essa música me leva a Londres e a boas lembranças de tempos idos.




- Tio, pede para colocar margarina e queijo também?
Percebo que o menino tinha ficado ali.

- OK, mas depois me deixe trabalhar, pois estou muito ocupado, tá?
Chega a minha refeição e junto com ela o meu constrangimento. Faço o pedido do menino, e o garçom me pergunta se quero que mande o garoto ir. Meus resquícios de consciência me impedem de dizer. Digo que está tudo bem.


- Deixe-o ficar. Traga o pão e mais uma refeição decente para ele.
Então o menino se sentou à minha frente e perguntou:


- Tio, o que está fazendo?

-
Estou lendo uns e-mails.
- O que são e-mails?

-
São mensagens eletrônicas mandadas por pessoas via Internet.
Sabia que ele não iria entender nada, mas a título de livrar-me de maiores questionários disse:




- É como se fosse uma carta, só que via Internet.
- Tio, você tem Internet?
- Tenho sim, é essencial no mundo de hoje.
- O que é Internet, tio?
- É um local no computador onde podemos ver e ouvir muitas coisas, notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar, trabalhar, aprender. Tem tudo no mundo virtual.

-
E o que é virtual, tio?
Resolvo dar uma explicação simplificada, novamente na certeza que ele pouco vai entender e vai me liberar para comer minha refeição, sem culpas.




- Virtual é um local que imaginamos, algo que não podemos pegar, tocar. É lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de fazer. Criamos nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como queríamos que fosse.
- Legal isso. Gostei!
- Mocinho, você entendeu o que é virtual?
- Sim, tio, eu também vivo neste mundo virtual.
- Você tem computador?
- Não, mas meu mundo também é desse jeito... Virtual. Minha mãe fica todo dia fora, só chega muito tarde, quase não a vejo. Eu fico cuidando do meu irmão pequeno que vive chorando de fome, e eu dou água para ele pensar que é sopa. Minha irmã mais velha sai todo dia, diz que vai vender o corpo, mas eu não entendo, pois ela sempre volta com o corpo. Meu pai está na cadeia há muito tempo. Mas sempre imagino nossa família toda junta em casa, muita comida muitos brinquedos de Natal, e eu indo ao colégio para virar médico um dia. Isto não é virtual, tio?
Fechei meu notebook, não antes que as lágrimas caíssem sobre o teclado.


Esperei que o menino terminasse de literalmente 'devorar' o prato dele, paguei a conta e dei o troco para o garoto, que me retribuiu com um dos mais belos e sinceros sorrisos que eu já recebi na vida, e com um 'Brigado tio, você é legal!'. Ali, naquele instante, tive a maior prova do virtualismo insensato em que vivemos todos os dias, enquanto a realidade cruel rodeia de verdade, e fazemos de conta que não percebemos!





Um carinho especial hoje para a Aninha e o Valter pelo aniversário dela e o lançamento do livro dele.


.

13 comentários:

Lu disse...

Intãotá: boa sorte na arrumação. Mas monta logo esta cozinha que já tô com fome...hehehehe
Bjs

Gerlane disse...

Mas, será que, o "virtualismo" não nos atenua as dores da realidade crua à qual temos que nos expor diariamente na dura lida pela sobrevivência?

Abraços e, um Natal cheio de paz e comunhão,

Gerlane

Carlos Emerson Jr. disse...

Puxa, que beleza de mensagem... a gente sempre acaba se esquecendo de olhar em volta...
Um beijo.

Carlos Emerson Jr.
http://www.cejunior.com

Luci Lacey disse...

Aiii Rosa

So de ver a sua bagunca, me da desespero, em pensar organizar e limpar tudo.

O resultado, valera o sacrificio.

Beijinhos

Sonho Meu disse...

Aqui tem muito voluntarialismo e doaçoes. Nao sei como tá o Brasil. Praticamente aqui no Natal os Supermercados e a comunidade em geral se juntam pra doar comida, roupas e ajudar a fazer a refeicao de Natal para os homeless. O que eu vejo aqui é o povo empenhado nessas ações... e o Brasil ? Os pobres ainda vivem a felicidade virtual?
Rosa sua casa tá um pandemonio menina...como vc aguenta???? Eu ja teria explodido e ido prum hotel. hehehehehe
bjos,
me

luma disse...

Rosa, fecha a casa e viaja.
Bagunçou minha mente só de olhar! Aff!! Espero que tenha vedado os armários por dentro...beijus

Oliver Pickwick disse...

Querida Rosa, gostei bastante do layout da sua casa. quando puder, me passe o telefone do seu decorador.
Brincadeira! Passei por isso há pouco tempo. É um inferno.
Ótimo esse texto do seu novo post. Me diverti muito lendo-o.
Um beijo, e tenha a melhor das semanas!

Osc@r Luiz disse...

¡íɐ ɹod oxıɐq ɐɹd ɐçǝqɐɔ ǝp oıǝɯ ɹɐʇsǝ ɯǝɔǝɹɐd ǝɯ sɐsıoɔ sɐ

Mas tudo bem, isso passa.
Logo estará em ordem.
Vim retribuir sua imensa gentileza.
Chegando de viagem e aprendendo mais uma lição aqui.
Muito obrigado por isso.
Um beijo!

Flavio disse...

Rosinha, que bagunça hein? Não se apavore, em seguida tudo estará no lugar. Beijos

Sean Hagen disse...

*



perfeitinha como tu é, imagino quantas caixas de lexotan estão sendo ingeridas por dia.
vixi.



*

Luis F disse...

Vim conhecer o seu mundo...

Parabens

Luci Lacey disse...

Rosa

Mas reforma com a gente dentro de casa e terrivel.

Beijinhos e boa semana.

Maria Helena disse...

Rosamaria,
depois,a casa fica linda maravilhosa.
A mensagem, faz a gente pensar, como a desigualdade social,a fome, está tão perto da gente.
Bjs

 
^