quarta-feira, novembro 14, 2007

Aniversário do Bayard

.



Domingo, dia 11, fomos a Lavras comemorar os 70 anos do meu irmão. Um almoço especial com a família reunida e muitas emoções.




Depois de um churrasco bem bueno, feito pelo Rafael, filho mais moço, pediram pra o Bayard falar. Entre outras coisas ele lembrou do pai, que faleceu com 59 anos e rolou a emoção, ele chorou abraçado na Helena, sua mulher. Depois foi a vez do Rafael fazer uma homenagem a ele em nome dos irmãos. Não precisa dizer mais nada. Os chorões de plantão desabaram. Foi muito bonito!

Eu não tive paciência de esperar que me mandassem fotos melhores que as minhas pra postar, está faltando a dos filhos e todo o pessoal presente.






O dia estava muito lindo e foi especial pra mim.







Aproveitei pra andar por minha cidade, que há muito tempo não visitava. A Igreja, o Grupo Escolar Pedro Américo, no meu tempo de primário, que passou a ser Escola Estadual Licínio Cardoso e onde fiz o ginásio, a gruta, lugar onde ia sempre quando jovem pagar promessas (claro que pra passar de ano!). Ela está bonita, pintada. Antigamente não tinha rua até lá e era um sacrifício ir a pé, é uma subida íngreme.





O monumento em homenagem a Santo Antônio, padroeiro da cidade.





Andei mais pelos arrabaldes, algumas ruas nem conhecia. A última foto é da casa da professoa Emy Tunhóli, que me alfabetizou.




No meu tempo de guria, todas tinham seus álbuns de recordação, onde os amigos escreviam poesias ou simplesmente alguma coisa para que fossem lembrados. Os meus foram roubados de dentro de uma gaveta do roupeiro do meu pai. Eu tenho um sentimento muito grande de tristeza por isso. Mas, estava lá na casa do meu irmão uma amiga de infância e conversa vai, conversa vem, lembrando daqueles tempos, ela falou no tal álbum e foi buscar o dela (ela mora em frente). Minha cunhada também tinha.




Se vocês clicarem na foto vão poder ler o que escrevi pra elas. As duas de cima foi para a Maria Helena, minha amiga, casada com o Douglas, primo, irmão, pois fomos criados juntos, (ele me ensinou a andar de bicicleta, nunca vou esquecer!). Foi no dia 22 de outubro de 1958. E as de baixo, do dia 20 de abril de 1957, que não dá pra ler porque não está nítida, era um poema do J.G de Araújo Jorge, de quem eu era fã e escrevi pra Helena, que depois veio a casar com meu irmão.

Como vocês podem ver eu ando por aqui há muito tempo...naquela época eu tinha 12/13 anos.

Voltei pra casa como se tivesse sido abençoada.


Hoje o Eraci, meu genro está de aniversário. Amanhã eu conto.




Update:
Achei este vídeo de Lavras no orkut do Zeca:






.

6 comentários:

Professor disse...

Feliz Aniversário.

clarice disse...

Que "cousa séria", chinoca!!!!
Me emocionei contigo!!!Adorei !!!!!!!!!!

Sonho Meu disse...

Tem coisa melhor do que voltar ao passado e recordar tantas coisas lindas da nossa vida?
Quando vou a Recife, tambem procuro os lugares que vivi minha infancia e juventude.
bjos,
me

Ana disse...

Adorei a festa, as fotos, os passeios pela nossa Lavrinha, os álbuns...
Tão bom, Rosinha!
São nossas raízes, nossos amores, nossos valores que vemos representados lá, naquelas ruas, naquela paisagem...
E dá uma saudade!!

Luci Lacey disse...

Rosa

Parabens a seu irmao.

Eita familia festeira e esta.

Rosa, a vida e curta, temos que aproveitarmos ao maximo estes momentos de uniao e alegria.

Sua cidade e uma graca.

Beijinhos

Maria Helena disse...

Rosamaria,
Putz, que del�cia, uma fam�lia assim.Parab�ns pelo anivers�rio do seu irm�o e genro.
Eu tb tinha esse di�rio, no meu at� os professores escreveram. Era uma j�ia preciosa para n�s adolescentes. Recordar � preciso.
Bjs

 
^