terça-feira, maio 29, 2007

o que estou lendo

.


Respondendo ao meme (primeiro fui descobrir o que é isso) que a Márcia me repassou, fico até com vergonha de dizer que leio muito pouco, não é mais como antigamente que lia sempre antes de dormir.

Sou muito dispersiva e sem paciência. Para ler tenho que me concentrar, sabendo que não vou ser chamada ou que tenha algo a fazer e, no momento que estou passando, é impossível.

Começei, mais de uma vez, a ler Cem anos de solidão, mas aquela família me deixou atrapalhada, os mesmos nomes repetidos tantas vezes. Na próxima vez vou fazer uma árvore genealógica.

Por isso tenho escolhido livros com histórias curtas ou crônicas.
Gosto muito da Martha Medeiros, como já disse aqui.




Estou lendo Coisas da vida, uma seleção de crônicas que foram publicadas na Zero Hora e em O Globo, entre setembro de 2003 e setembro de 2005.

Ela nos faz rir e chorar, refletir e nos dar conta de coisas que fazemos muitas vezes sem nos darmos conta, sempre de uma maneira franca e com bom humor.










O Luis Fernando Veríssimo me diverte com As mentiras que os homens contam!

"Os homens não mentem. E se mentem, é porque precisam. Para poupar as mulheres - e também, para se proteger delas."












Estes estão sempre à mão, não raro estão no carro, pois tendo que acompanhar meu marido e muitas vezes esperá-lo, fico lendo ou fazendo palavras cruzadas.






São as Histórias para Aquecer o Coração.

De um deles que saiu a idéia para fazer as colchas para os filhos, que estão nos meus trabalhos. São histórias emocionantes, deliciosas de ler.






Como vocês podem ver, são livros bem diferentes dos de vocês. São de uma dona de casa, dispersiva e sem paciência para ler.








Convido a Luci e a Lu para contarem o que estão lendo.


.



10 comentários:

clarice disse...

Rosa, sabe que quando li Cem anos de solidão, a certa altura, recomeçei fazendo a árvore genealógica foi como me situei nos personagens. O mesmo eu fiz quando li O tempo e o vento.Adorei do Gabriel, A triste história de Candida Erêndida e sua vó desalmada.É uma história muito doida!!
Bjos

Luci Lacey disse...

Oi Rosa

Nossa que delicia, amo ler, sou viciada, leio ate bula de remedio he eh.

Obrigada pela convite.

Amanha mesmo, irei postar.

Beijinhos

marcia disse...

pra quem não tem paciência pra ler, vc está lendo um monte, hein? :)

Rosamaria disse...

Clarice
Vou ter que fazer a árvore tb. O tempo e o vento não é aquele grossão? Só se a letra for grande.


Luci
Vou esperar.


Márcia
Tu não entendeste bem: to lendo a Martha e o Veríssimo lá no quarto, quando não to gostando do programa de TV que o Taba estiver vendo e conforme o meu humor.Os outros estão bem à mão aqui na estante e no carro,com as palavras cruzadas. Como o que estás lendo,dá pra abrir em qualquer página, pra ler em qualquer lugar!


Bjão procês.

Graziana disse...

Rosa...
eu também larguei de mão os cem anos de solidão menina!!!!!! não aguentei aquela familia de nomes iguais...heheheheheheh

belas dicas de livros destes aqui ;)

Luci Lacey disse...

Oi Rosa

Ja fiz minha tarefa e postei-a.

Rosa, vamos participar da blogagem coletiva dia 5 de Junho?

Leia no Hippos, se te interessar, vamos simbora nesta.

Beijinhos

Sean Hagen disse...

*



cem anos de solidão foi um dos raros livros que larguei sem terminar.
tinha lido alguns contos dele - e achado chatos -, mas resolvi ver porque ele é tão famoso.
confesso que nunca vou saber.
tá na minha lista dos autores que devem ser esquecidos.

de quem eu tava falando, mesmo?




*

Rosamaria disse...

Sean

até tu, Sean, meu filho!!!!

bjim

Marluci Costa disse...

Rosa, "Cem anos..." é um grande desafio. Deixarei para quando estiver aposentada. Será? Acho que nesse período terei mais coisa para fazer do que hoje. hehe

Martha Medeiros também é minha "ídala". Já descobri algo em comum com você.
Já li o livro citado e há pouco terminei "Cartas extraviadas e outros Poemas". Ah, também li "Poesia Reunida". Ambos da L&PM (aí do sul).

No momento estou lendo "A paixão segundo G.H.", de Clarice Lispector. Olha, ela deve ter tomado ácido ou muito chá de cogumelo quando escreveu esse livro e acredito que foi de uma "tacada" só. Imagine, a mulher como uma barata !!! Mas é muito interessante, faz a gente dar uma boa refletida na vida: principalmente as mulheres.

AlluconiNassif disse...

rosa adorei teu blog, faz tempo q n conversamos amiga, desde q estiveste aqui no Rio...ando atrás do e-mail da Ana. Já que gostas de ler , indico um belo livro "As Perguntas da Vida" de Fernando Savater. Meu blog de "filosofia poética" nonnalice.blogspot.com , veja o que a "maturidade" faz com a gente, rsrsrs. bjs Alice Nassif Palma

 
^