domingo, novembro 26, 2006

O telefonema




Anos 70, quando eu era ainda neurotiquinha por limpeza.
Sexta-feira, dia de faxina, quando as paredes eram lavadas de cima a baixo. Eu só, sem empregada, subida numa escada lavando azulejos, toca o telefone. Deço, não dá tempo de atender, pois só tem um aparelho em casa e é na sala. Isso acontece várias vezes até que minha filha, com 4 ou 5 anos, resolve atender. Chego a tempo de ouví-la dizer:

_ Meu pai não está e não sei que horas ele volta.
A minha mãe tá lá no banheiro, fazendo xixi.

_ Mãnhêêê, o tio quer falar contigo.

Quase morrendo de vergonha tive que atender, era um funcionário do Banrisul, que nos atendia. Não quis mais ir ao banco e cada vez que passava por ele na rua queria sumir.

Agora a gente fala essas coisas normalmente, como todos aqui, mas naquele tempo era diferente, vocês nem sabem como!



Este post faz parte de mais um projeto do Leo, "o mico publicável", lá no Indizível.

8 comentários:

Leonardo disse...

Ichhh... Rosamaria, apesar de não ter vivido isso, sei bem como era... fui criado por um pai que tinha idade para seu pai também. Era cada causo...

Agora, este seu mico me lembrou uma piadinha muito da besta! Dois estrangeiros, um polaco e um portuga, chegam ao Brasil no início do século passado, tendo travado forte amizade depois de dividir as migalhas de pão no navio.

Chegando ao Brasil, se despediram e cada um seguiu seu rumo. Trinta anos depois, o polonês vê um mendigo batendo à janela de sua limosine e reconhece o português. Ele o abraça, manda entrar no carro e o torna seu "Assistente Pessoal".

Dias depois na mansão do polonês, o português atende o telefone e responde: "Não, ele não pode falar. Está no banheiro fazendo cocô." O polonês escuta aquilo de longe e depois explica ao português que ele não poderia falar assim ao telefone. Que ao invés disso ele deveria dizer "ele está em uma reunião..."

No dia seguinte, toca o telefone, o portuga atende e responde: "ele não pode atender, está em uma reunião, mas não deve demorar muito porque já saiu daqui peidando!!!" :D

Beijo,

Rosamaria disse...

Hahahahaha!!

Boazinha essa tua,Leo!

Bj.

Zeca La-Rocca disse...

Rosamaria!
ainda bem q era só xixi!
hehehe

abço

Sean Hagen disse...

*


se o n°1 já causou esse contragimento todo, imagina se tua filha tivesse falado o n°2? tu ia estar morando em manaus essa hora.


*

marcia disse...

uma vez o filho de uma amiga me disse "a mãe tá cocando, liga depois". nem preciso narrar nossa deitação depois.

Graziana disse...

consegui imaginar a situação!
guria, ainda tenho que escrever um mico também!

Ana disse...

Hihihihiih!
Adorei!

Mas afinal, tu tava fazendo xixi ou limpando azulejos?!

Rosamaria disse...

Eu tava limpando os azulejos, Zeca!

Sean:
Podia ser Floripa!

Márcia:
Gostei! Vou aplicar na minha turma.

Graziana:
Vou lá ver teu mico.

Ana:
Claro que tava limpando azulejos, mas fiquei num vermelejo só.


Bjão procês.

 
^